Como funciona

Como o Wi-Fi funciona? Entenda essa tecnologia

Pela necessidade de conexão as redes de Wi-Fi estão presentes em boa parte do nosso cotidiano. Elas estão disponíveis em nossas casas, nos escritórios que trabalhamos e até nos restaurantes e lanchonetes que frequentamos. Quem nunca teve de abordar um atendente para perguntar a senha da internet, que atire a primeira pedra.  Se você, prezado leitor, tem a curiosidade de saber como é o funcionamento dessas redes, nós te explicamos e tiramos suas dúvidas!

como o Wifi funciona

No decorrer da história do Wi-Fi

Lá na década de 90, com a chamada terceira Revolução Industrial ou Revolução Tecnológica, surgiu o primeiro sistema de internet sem fio, o wireless. Assim os primeiros computadores portáteis atingiam uma porcentagem considerável de consumidores. Com o tempo a tecnologia viralizou de maneira surpreendente, e hoje ela é extremamente popular. O Wi-Fi é uma espécie de wireless e é utilizado para redes de dispositivos locais, tais como celulares, computadores e videogames. A conexão é viabilizada por meio de um equipamento muito conhecido, o roteador.

A expressão Wi-Fi é uma abreviação do conceito Wireless Fidelity, e tem uma ligação com o termo Hi-Fi (High Fidelity), cujo foi utilizado pela indústria fonográfica na década de 50. Registrado pela empresa Wi-Fi Alliance, o nome se tornou popular no mundo todo.

O funcionamento

Através de ondas de rádio comuns as redes sem fio se encarregam de fornecer informações de internet. Da mesma maneira isso acontece com outros dispositivos como o rádio, celular e a televisão. Esse sistema funciona por meio de adaptadores, os roteadores que recebem os sinais e os emitem a partir de uma antena.

Por esse motivo é necessário que o consumidor fique atento ao roteador que vai adquirir. Este equipamento é o principal responsável por toda essa troca de sinal. É recomendado que o usuário pesquise roteadores modernos o suficiente para que barrem a interferência de transmissão.

Os sinais podem ser transmitidos e chegar pelas linhas telefônicas, via cabo ou pelas próprias ondas de rádio, como acontece com o 3G, por exemplo. Essa troca de dados abrangem duas frequências disponíveis em território nacional: a de 5GHz ou 2.4 GHz. A capacidade do sinal varia de acordo com o tamanho da frequência. Quanto mais alta ela for, maior a capacidade de carregar um elevado número de informações transmitidas.

Veja também:

Como os dispositivos se comunicam entre si?

Uma curiosidade importante: Existe um protocolo que viabiliza essa comunicação, o 802.11. Ele garante que os dispositivos reconheçam as informações dos sinais. Tal sistema possui algumas variações (a,b, g e n) Vamos entender as diferenças entre elas? Com um custo operacional mais baixo, o 802,11b se destaca dos demais por utilizar a frequência de 2.4 GHz e sua velocidade chega a 11 megabits por segundo! O 802.11a já é capaz de transmitir as informações em 5GHz chegando a uma velocidade de 54 megabits por segundo. É um pouquinho mais caro, entretanto é conhecido por sua eficácia e evolução referente ao modelo anterior, sendo cinco vezes mais rápido.

velocidade do wifi

O 802.11g garante mais rapidez em detrimento a versão “b”, embora utilize a faixa do 2.4GHz. Devido ao mesmo sistema da versão “a”, ele permite uma divisão no sinal, evitando qualquer tipo de interferência. Esse padrão é mais comum de ser encontrado atualmente. Por fim, a versão 802.11n é a mais nova e foi desenvolvida com a principal finalidade de estender o alcance do sinal, tendo um limite de 140 megabits por segundo.

Vantagens

Então você já sabe como funcionam as redes de wi-fi e como elas foram desenvolvidas. Pode ser que você se pergunte, ainda quais são as vantagens de apostar em bons planos de internet.  A principal delas é que é possível que outros computadores e celulares possam se comunicar entre si e assim transmitir dados. O mais importante de tudo: Sem recorrer a utilização de fios e cabos. Ufa!

Obviamente, sempre há uma desvantagem ou outra. Como mencionamos, dependendo do roteador escolhido, correm-se riscos de interferência de sinal. Para evitar esse tipo de problema, fique atento aos novos dispositivos atualizados no mercado. Escolher um provedor de internet de qualidade também é fundamental para que o cliente não tenha dores de cabeça com uma conexão ruim.

Para saber qual é a qualidade da internet que o seu roteador e modem estão entregando, você pode medir a velocidade da internet.

Por fim, fique esperto em relação à posição do seu dispositivo em relação ao receptor (roteador). Centralize e deixe-o distante de quaisquer objetos que possam atrapalhar a transmissão das ondas de rádio.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.